WIP | 14 Junho | 21h30 | Galeria Geraldes da Silva |Porto

Imagem

O WIP é um ciclo de projeções de trabalhos fotográficos em curso, onde se pretende estabelecer um diálogo de proximidade entre autores e público, de forma a desenvolver o pensamento crítico em torno da imagem fotográfica.

A 7ª edição exibirá na Galeria Geraldes da Silva, os trabalhos dos fotógrafos Ana Catarina Pinho, Joana Castelo, Mariana Santos e Miguel Miguel.

No final das apresentações todos os fotógrafos estarão disponíveis para uma conversa informal com o público.

wip_2

ANA CATARINA PINHO | BROKEN GROUND 
http://www.anacatarinapinho.com/

SINOPSE
Em Broken Ground é construída uma paisagem representativa da periferia da cidade e retratada pela interação dos seus habitantes.
A minha ideia de fronteira/barreira está directamente ligada a pessoas e em como as suas ideologias e atitudes, relacionados à questão de território e possessão, originam separação, desentendimento e conflito.
Desta forma, o retrato dos habitantes desses espaços foi utilizado de forma a representar a fronteira psicológica que divide o espaço urbano e, consequentemente, as próprias pessoas.
Sendo esta, uma abordagem a um conceito que considero principalmente psicológico, a figura humana tornou-se a sua representação mais significativa.

BIO
Ana Catarina Pinho (1983, Portugal)
O interesse por fotografia surge após ter estudado Arte e Comunicação e Artes Plásticas, tendo completado um Mestrado em Fotografia Documental em 2010.
Desde então tem participado em projectos e residências artísticas como Picture Berlin’10, Nomadic’1012, European Borderlines.
O seu trabalho tem sido apresentado internacionalmente em exposições e festivais de fotografia.
Em 2012 fundou o projecto de fotografia documental Photo Archivo, onde trabalha como coordenadora/editora.
Atualmente reside no Porto.

JOANA CASTELO | Na cidade de Ho Chi Minh
http://joanacastelo.wix.com/in-ho-chi-minh-city

SINOPSE
Um diário fotográfico que reflete a relação entre uma ocidental, a sua família luso-vietnamita e a cidade de Ho Chi Minh.
As imagens, íntimas e pessoais, resultam de onze anos de viagens regulares ao Vietname.
As ruas de Ho Chi Minh são circuitos diários e habituais.

Azul profundo
Saltamos no vazio.
Puros. Uma vez mais.
Acompanhados pelas nossas armas de construção de universo.
De mão dada, cada um com a sua música, cada um no seu caminho.
Recriamos um outro que nos acompanha; às vezes calado, às vezes ouvinte, às vezes dialogante.
Temos medo e fugimos; acreditamos que estamos no sítio certo e prosseguimos.
O espaço é feito de camadas de tempos. Coexistentes. Passados e presentes.
Num mesmo plano construído em fragmentos, romanticamente destruído. Belo.
O olhar atravessa a face do agora, construído através do rosto mutante do que foi, do que não foi e antevendo silenciosamente o que vai ser.
Tens medo? De que me falas tu? Porque é que nos anestesiamos assim?
O que é a beleza? Porque é que sentimos tanto?
E conhecer um sítio, o que é?
É querer voltar muitas vezes sem vontade de aprisionar, transcrevo para o caderno vermelho.
E ver as imagens habitadas pelo vazio, com cheiros e palavras em eco, índices de um referente emocional.
Autobiográfico, anónimo ou coletivo.

BIO
Joana Castelo nasceu em 1982 em Aveiro.
Vive e trabalha no Porto, onde frequentou o Curso de Tecnologias da Comunicação Audiovisual e concluiu o Mestrado em Comunicação Audiovisual, Fotografia e Cinema Documental, em 2010, no IPP-ESMAE.
Tem desenvolvido vários projectos de fotografia documental, nomeadamente sobre o Vietname.
Conta com exposições no Museu da Imagem em Braga, KGaleria em Lisboa e Associação cultural Maus-Hábitos no Porto.
Em 2012 participou na Residência Artistica da Fundação Robinson em Portalegre e foi um dos fotógrafos emergentes no Projecto Entre Margens – O Douro em Imagens.
É professora de fotografia e cinema, fotógrafa freelancer e colaboradora na editora Lovers and Lollypops e no grupo de Fotografia documental ARCHIVO.

MARIANA ROCHA | ESTIVAÇÃO
www.behance.net/marianaprocha

SINOPSE
Estivação é uma série fotográfica sobre obras que entraram num estado de sono profundo.
Edifícios adormecidos, mas consumidos pelo tempo, ou pela natureza que corrói e desgasta os espaços.

BIO
Mariana Rocha, nasceu em 1994 e vive no Porto.
Estudou na Escola Artística Soares dos Reis onde se especializou em Fotografia.
Actualmente estuda na licenciatura de Artes Visuais – Fotografia na ESAP (Escola Superior Artística do Porto).
Desde 2009, trabalha regularmente em trabalhos fotográficos, principalmente na ordem do conceptual e artístico.

MIGUEL MIGUEL | PARADOS NA CONSCIÊNCIA
http://cargocollective.com/miguelmiguel

SINOPSE

Vinte pessoas que não conseguem chegar a um fim, a uma conclusão, pois a sua consciência não lhes permite.
Estão por isso, estancados no pensamento.
Pensamento esse visto como a sua fronteira, principal distração que não lhes deixa chegar a essa meta, desconhecida e incerta que acaba por não ser relevante.

BIO
Miguel Miguel, nasceu em 1993 e vive no Porto.
Estudou na Escola Artística Soares dos Reis, especializando-se em fotografia.
Atualmente estuda na licenciatura de Tecnologia da Comunicação Audiovisual na ESMAE (Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo) do IPP.
Desde 2011 realiza regularmente projectos fotográficos, tendo participado em algumas exposições coletivas de fotografia.

Os comentários estão fechados.
%d bloggers like this: